14 de junho de 2013

RESENHA: A QUINTA TESTEMUNHA - Michael Connelly (Suma de Letras)

Boa tarde, gente!

É com extrema empolgação que venho falar de A QUINTA TESTEMUNHA, último livro do MICHAEL CONNELLY lançado pela SUMA DE LETRAS. Não é segredo que o autor é um de meus preferidos e que eu dou uma boa surtada quando tenho oportunidade de ler algum livro dele. Gosto muito da versatilidade do CONNELLY tanto para escrever policiais, como para escrever thrillers jurídicos, caso de A QUINTA TESTEMUNHA.

A Quinta TestemunhaSINOPSE: Em mais um suspense policial ao melhor estilo de Raymond Chandler, Michael Connelly retoma a figura de um de seus maiores protagonistas: Mickey Haller. O autor best seller, sucesso de crítica e público, situa seu melhor advogado de volta à defesa, após uma rápida e bem-sucedida incursão como promotor. Haller vive tempos difíceis. A procura por advogados criminalistas em Los Angeles praticamente sumiu graças à crise econômica. Com cada vez menos clientes pagantes, ele se vê obrigado a expandir seus negócios para a defesa de processos de despejo, mudando de clientela. Em vez de manter os réus fora da prisão, ele agora precisa manter os inadimplentes dentro das próprias casas, na contramão da onda de despejos causados pela crise do mercado imobiliário. O cenário muda quando Lisa Trammel, uma de suas novas clientes, é acusada de assassinar o banqueiro que supostamente tentou lhe tomar a casa. Após oito meses da luta de Lisa, o CEO de seu banco, Mitchell Bondurant, é encontrado morto com um tiro na cabeça. Ela é a suspeita mais óbvia, graças à atenção negativa que havia recebido por suas atitudes contrárias à política de despejos. Mickey se vê de volta ao seu lugar: protagonizando um caso que conquistou a atenção da mídia. Ele coloca sua equipe em ação para inocentar Lisa, tentando superar uma longa lista de provas comprometedoras, um promotor impiedoso e suas próprias suspeitas quanto à sua cliente. Logo, suas investigações começam a incomodar indivíduos poderosos, capazes de qualquer coisa para ocultar seus erros. Ao desbravar uma trilha infestada de segredos e ciente do perigo que corre, o advogado luta para montar a melhor defesa de sua carreira, em um julgamento no qual nada é exatamente o que parece. Para descobrir a verdade sobre o assassinato de Bondurant, Mickey será forçado a desenterrar duras verdades sobre si mesmo.

Primeiramente, eu gostaria de dizer que AMO o advogado Mickey Haller! O cara é fantástico e é um gênio. Está sempre um passo a frente, tem uma língua ferina e um pensamento extremamente ágil e devastador. Fico chocada com a rapidez de seus argumentos, de suas ações e a forma como ele consegue resolver os mais diversos problemas. Claro que muitas vezes ele soa arrogante, prepotente e consegue ser insuportavelmente metido, mas até isso atribui verdadeiro charme para sua condição de advogado de defesa.

E já que o assunto é personagem, preciso dizer que em A QUINTA TESTEMUNHA dois personagens me irritaram muito: Lisa Trammel, a acusada de assassinato, que parece ter alguma lerdeza mental para entender as regras de Haller (ok, existe explicação ao final, mas até chegar ao final ela me irritou ao extremo) e Andrea, a promotora do caso. A toda hora ela interrompe Haller, quer “pregar peças” para cima dele e ser mais espera que o advogado. Sei que é esse o papel dela, mas, como fã de Mickey, fiquei meio “emputecida” com a personagem que tentava ofuscar o brilho do meu queridinho.

Quanto ao enredo, gostei, mas não vou dizer que morri de amores ou que o considerei excelente. Pelo contrário, já li livros do CONNELLY que são infinitamente melhores. REVIRAVOLTA é um exemplo. Achei o enredo de A QUINTA TESTEMUNHA morno, enfadonho e muitas vezes repetitivo. Claro que entendo que o autor pegou o embalo de uma recessão americana para colocá-la como foco em seu livro e assim criticar as financiadoras de imóveis e o sistema, mas, vivendo longe dessa realidade, é difícil mergulhar na história de forma profunda e criar laços com personagens e situações. Como disse quando falei de Haller, o brilhantismo do livro fica por conta dos diálogos ferinos do advogado e da forma como ele enfrenta sem medo as mais diversas situações.


Sou fã do CONNELLY, mas assumo que A QUINTA TESTEMUNHA foi um livro em que um só personagem se fez notar, e que graças a Deus isso aconteceu, do contrário, nem o magnífico final apresentado teria sido capaz de salvar a mesmice do livro.


FICHA DO LIVRO

                  A QUINTA TESTEMUNHA
MICHAEL CONNELLY
Editora: SUMA DE LETRAS                          
Ano: 2013                   
Nº págs: 424
Gênero: Thriller Jurídico

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Nunca li nada do Michael Connely, desejo muito ler algum trabalho dele. Adorei sua resenha! Esses personagens arrogantes e inteligentes, como Mickey Haller, são extremamente apaixonantes.
    Xxxx

    ResponderExcluir
  2. Puxa, uma pena que o livro não tenha te agradado muito... ainda mais por você ser super fã do autor. Mas acontece. Eu não conhecia o livro, gostei da resenha, e só com a sua descrição das personagens irritantes, deu pra ficar irritada também! ehehehehheehhe Não é um livro que lerei em breve, pois tenho algumas leituras atrasadas, mas futuramente sim....beijos!

    ResponderExcluir

* Deixe seu comentário e me faça feliz :D
* Se você tem um blog, não esqueça de deixar o link.